troca de dente do filho

 


A fase da janelinha chegou para seu filho?

Toda criança passa pela temida fase de troca de dentes de leite. Algumas encaram o período com bom humor, outras sofrem e sentem vergonha, mas o fato é que a troca faz parte do desenvolvimento e é super normal. "Hoje essa fase chega cada vez mais cedo. Os primeiros dentinhos caem por volta dos 5 ou 6 anos de idade, sendo que as meninas costumam passar por essa fase um pouco antes, em comparação aos meninos", diz Doutor Alexandre Mesquita.

 

 

Ao alimentar-se, conversar ou no momento da escovação, seu filho pode começar a sentir o dente mais molinho. Com o tempo, a raiz vai se desprendendo, até que um dia ele simplesmente cai ou fica solto a ponto de os pais ou mesmo a própria criança conseguirem puxá-lo. "Nesses casos, quando o dente cai ou é extraído em casa, quase não ocorre sangramento. Se houver um pouco, basta enrolar uma pedra de gelo em uma gaze e pressionar sobre o local para estancar", ensina Mesquita. De acordo com o especialistas, a temperatura baixa provoca constrição dos vasos sanguíneos e ameniza a situação. É por isso que alguns profissionais recomendam que as crianças tomem sorvete após a remoção de algum dente. “Parte boa dessa fase de troca, não é?” 

 

Depois de aberta a janela, a ponta do dente permanente aparece em algumas semanas, mas seu crescimento completo pode levar entre 6 e 8 meses.

 

E quando o dentinho não quer cair?


Não são todos os casos que o processo acontece de forma natural, embora essa seja a melhor maneira de garantir um crescimento ósseo normal. Em algumas vezes, antes de um dente cair, seu substituto começa a nascer na posição errada, encavalado no outro. Ao acontecer essa situação, leve a criança ao consultório para que o dentista faça a extração. "Como essa é uma fase em que o maxilar e a mandíbula estão em crescimento, o problema costuma se resolver sozinho depois da retirada. O próprio movimento muscular de falar e de comer já estimula a correção, sem precisar recorrer aos aparelhos ortodônticos”, esclarece Doutor Alexandre Mesquita.

 

Mas se a criança não quer perdê-lo… O que fazer?

    
Há também outro tipo de situação: o dente está mole, quase caindo, mas a criança não quer extraí-lo. "Existe um fator psicológico. Algumas crianças lidam muito bem com isso, enquanto outras sentem que é uma perda. E não deixa de ser", comenta Mesquita. Medo, insegurança de ter a aparência modificada ou da possibilidade de sofrer bullying na escola são alguns dos motivos de resistência. Acostumados a isso, profissionais especializados no público infantil podem ajudar os pais a lidar com a situação. "Algumas crianças vêm ao consultório e não querem que eu remova os dentes. Dependendo do caso, fazemos um trato: ela volta para casa e, se o dente não cair sozinho em dois dias, combinamos de ela voltar", conta Mesquita. O importante é fazer com que o acontecimento não seja traumático e ajudar a criança a encará-lo com naturalidade.

 

Hoje existem alguns produtos que tornam essa fase de troca de dentição mais divertida. Um exemplo disso é estimular a criança a colecionar os dentinhos, com algum porta dentes de leite ou estojo para dentes, no site da Bêbe de Grife, você encontra o Dental Album Premium Angie Angelus.

A Angelus desenvolveu uma Album Dental super bonito para que seu filho possa colecionar os seus dentinhos de leite e guardá-los em um super estojo acoplado ao album. A Fada do Dente com certeza ficará com ciúmes deste porta-dentinhos super fofo e divertido. 

 

dental-album-premium-angie-angelus

 

 


Existe o risco da criança engolir o dentinho?


Em alguns casos, o dente fica tão mole que dá medo de cair de repente e a criança engolir sem perceber. E se acontecer durante a noite, enquanto dormem? "Não existe um caso sequer relatado na literatura", tranquiliza Dr. Alexandre Mesquita. Durante o sono, é praticamente impossível que isso ocorra, porque a tendência é eliminar o que estiver na boca, e não deglutir. Mas, se acontecer, não tem problema: do mesmo jeito que foi engoligo, o dente será expelido quando a criança for ao banheiro. O risco maior é o de aspirar o dentinho. Aí, sim, ele pode entrar nas vias aéreas e causar problemas mais graves.

 

Para chegar até esse ponto, no entanto, precisa estar realmente muito mole. Não quer correr o risco? Então fique atento. Se a raiz estiver quase se desprendendo e ainda assim a criança não quiser extrair, talvez seja a hora de levá-la ao consultório odontológico.

 



Sobre nosso Parceiro


Dr. Alexandre Mesquita - CRO 71.319

Formado em Odontologia pela Universidade de Santo Amaro - SP (UNISA).

Especializado em clínica geral e membro do conselho regional de odontologia

 

Quer saber mais? Acesse >> http://www.dralexandremesquita.com